Estamos de Volta

Estamos de volta. Após alguns anos de interrupção na produção dos cáusticos e pilhéricos artigos que se fizeram presentes na vida acadêmica dos autores, resolvemos voltar. Não se trata de um novo parágrafo seguindo o último ponto final escrito nesse blog. Nem tampouco um retorno a velhas reticências. Estamos levemente mais velhos, mais experientes. E, … Continue lendo

O Desconstrucionismo Moderno e a Legitimação da Mentira

O Desconstrucionismo, dizem, foi um movimento filosófico moderno caracterizado pela busca da verdade a partir da “desconstrução” do objeto em estudo. Seria este seu núcleo essencial metódico, sua diferença específica basilar. No entanto, não tão dito mas muito mais evidente é o fato de que sempre resta certa perplexidade quando propõe-se a demarcação das reais … Continue lendo

Lei Marcial em Época de Paz ou: “A Política” segundo Obama

No Capitulo III do Livro Segundo de “A Política”, Aristóteles assim complementou a visão socrática sobre a atividade legislativa: “Diz Socrates que o legislador, ao compor suas leis, deve ter sempre os olhos fixos em duas coisas: o país e os homens. Seria preciso acrescentar que ele deve também estender seus cuidados aos países vizinhos, … Continue lendo

NOTA: Vladimir Safatle na Carta Capital

Recebemos a informação de que o professor de filosofia Vladimir Safatle foi integrado ao time de “intelectuais” da Revista Carta Capital, já afamado por contar com  nomes de peso como Jean Willys e Mino Carta. Coerente, a Revista mantém, com a adição de Safatle (sobre o qual já falamos aqui) a seu quadro, por assim … Continue lendo

Era uma Aula Muito Engraçada (ou Platão, um Marxista Convicto)

Fôssemos poetas e parodiaríamos em verso, do início ao fim, a conhecida canção de criança. Por falta de talento destes autores e por falta de merecimento do objeto, todavia, segue mesmo em prosa o inacreditável jaez de uma das aulas inaugurais que tivemos a infelicidade de prestigiar, a primeira de nosso curso de Filosofia do … Continue lendo

Gregos, Romanos ou Animais?

Em “Declínio e Queda do Império Romano”, Edward Gibbon nos conta que, mesmo sob o jugo da púrpura latina, os helênicos  mantinham grande orgulho da riqueza de sua língua materna, espelho mais fiel da superioridade e do brilho de sua inteira cultura. O latim peninsular, tido pelos gregos por nada mais que o tosco idioma do oficialato, era então o sinal inconteste da … Continue lendo

Pela barbárie e pela Fé, “Dilma vai a Cuba de ‘olhos vendados e carteira aberta'”.

Algumas palavras a respeito da recente visita de D. Dilma Rousseff à Ilha de Cuba, onde Hemingway felizmente viveu antes da imposição das rédeas coletivistas, tempos outros que ainda permitiram que, dali, o maior contador de histórias do Século XX brindasse o mundo com seu talento e simplicidade. Infelizmente o assunto, aqui, não é agradável … Continue lendo

O Ópio de Frankfurt e a USP

Para Karl Marx, “a religião é o ópio da humanidade”. Para Raymond Aron, o marxismo é o ópio dos intelectuais. Para esses que vos escrevem, porém, a maior droga alienadora da comunidade acadêmica da Universidade de São Paulo é a sua própria – e abissal – carência de opiniões formadas. Explicaremos. Vivemos na época das … Continue lendo

Os Dreads, a PM e a Nostalgia de Outras Encarnações

Temos acompanhado alguns eventos curiosos na dita Gloriosa. O derradeiro, puramente trágico – para não denominarmos jocoso -, diz respeito aos reflexos de um ideal libertário promovido pelos grupos de esquerda contra o regime autoritário empreendido pela PM, que para eles, como no fatalismo de Édipo, está nos moldes da ditadura militar. Nesse sentido, tive … Continue lendo

A Loucura Quem Fala

Com efeito, a História das Ideias é uma espiral retrorreferente que não se enquadra jamais na linearidade do intangível tempo das ampulhetas. Tempos felizes e infelizes, nos quadros das idas e vindas elucubrações, de fato, vão embora para depois sempre voltarem. Desafortunadamente, alguns elementos dessa seara, quando dão meia-volta de mala e cuia na mão, … Continue lendo